Bem vindo ao Arinos Notícias, Domingo, 20 de Outubro de 2019
Noticias
     
8 de Outubro, 2019 - 13:33
Garimpeiro foi morto em confronto com o Bope após não aceitar buscas em barraco

A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) informou que o garimpeiro morto na última segunda-feira (07), durante a segunda fase da ‘Operação Trypes’, não teria aceitado que buscas fossem feitas em seu barraco, instalado no garimpo ilegal, localizado na Serra de Santo Expedito, a 13 km da cidade de Aripuanã (704 quilômetros de Cuiabá). O homem não foi identificado ainda.


De acordo com as informações, os policiais do Bope foram os primeiros a entrar na área do garimpo, atendendo cumprimento de ordem judicial que determina intervenção na área. Os militares perceberam que haviam vários barracos, sendo alguns vazios e outros ocupados.

 

Os policiais orientaram que os garimpeiros saíssem do local e fossem para um local de triagem para fazer a varredura.

 

Neste momento, em um dos barracos, um garimpeiro (ainda não identificado) disparou tiros contra os policiais do Bope. Em razão disso, um dos militares revidou a agressão e acertou dois tiros no homem.

 

O garimpeiro ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal Santo Antônio. Porém, não resistiu aos dois tiros no tórax e morreu.

 

No barraco dele foram encontradas duas espingardas cartucheiras, uma de cano longo e outra de cano curto, de calibre não identificado. Além disso, havia invólucros de pólvora, chumbo, pote com espoleta, cartuchos intactos e outros deflagrados, além de dois invólucros de quantidade não especificada de substância semelhante a ouro.



A operação, que conta com 160 policiais e servidores da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), visa encerrar as atividades de um garimpo ilegal localizado na cidade de Aripuanã que está causando impacto ambiental e devastação social na cidade.


O índice de homicídios, tráfico de drogas e prostituição aumentou na região por conta o garimpo ilegal. Imagens divulgadas pela PF mostram que o espaço havia se tornado uma “minicidade”.


A operação foi deflagrada após dois suspeitos, identificados como R.R.L., 34 anos, e W.B.F., 33 anos, serem presos em um aeroporto na zona rural da cidade, em junho deste ano. Foram apreendidos 6,5 kg de ouro avaliados em R$ 7 milhões, além duas pistolas (9mm e 635) com seus respectivos carregadores e 27 munições intactas.


Em depoimento, R.R.L. confessou ser dono do outro e disse que estava aguardando a aeronave que levaria o ouro, mas não fez referência ao avião que havia pousado minutos antes e levantado voo.


A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 26 de setembro, com o objetivo de investigar irregularidades na extração de ouro em garimpos de Mato Grosso. Foram cumpridos mandados de prisão em Juína, Aripuanã, Alta Floresta e Paranaíta.


“Minicidade”


Em imagens divulgadas pela PF, pode-se notar que o garimpo havia se transformado em uma “minicidade”. Gravadas através do helicóptero que dá apoio na ação, as imagens mostram que há vários pequenos imóveis espalhados ao longo da região.


 

Fonte: A Folha do Medio Norte
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
18/10/2019
17/10/2019
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2019 - Arinos Notícias