Bem vindo ao Arinos Notícias, Segunda-Feira, 15 de Outubro de 2018
Noticia
     
9 de Junho, 2018 - 09:50
Policiais que resgataram bebê indígena enterrada viva são homenageados pelo governo de MT



Cinco policiais militares e dois civis de Canarana receberam menção honrosa pelo trabalho


Cinco policiais militares que ajudaram no resgate do bebê indígena da etnia Kamayurá que foi enterrada viva, na terça-feira (5), em Canarana, a 691 km de Sinop, foram recebidos pelo governador Pedro Taques (PSDB), no Palácio Paiaguás, sede do governo de Mato Grosso, e foram homenageados pela ação.

Foram homenageados o major João Paulo Bezerra do Nascimento, os sargentos Edson Fernando Poll e Adenilto Santos Oliveira e os soldados Jabes Raoni Sturm Aroca e Henrique Galvão Ataídes. Segundo o governo, a menção honrosa vai constar na ficha funcional dos servidores e pode contar pontos na progressão de carreira.

Além dos policiais militares, também foram homenageados os policiais civis Dicson Danillo Souza Moura e Patrícia Gouveia Franco, que participaram do resgate da criança, enterrada viva no quintal da casa da família de índios.

Para os policiais, a criança sobreviveu graças a um milagre, pois passou seis horas enterrada, sem oxigênio. A recém-nascida foi enterrada nua em uma cova de aproximadamente 30 centímetros de profundidade.

Os policiais foram até o local depois que receberam uma denúncia de que uma criança havia sido enterrada no quintal de casa, sem passar pelo Instituto Médico Legal (IML). Eles disseram que não imaginavam que o bebê pudesse estar vivo, mas mesmo assim começaram a cavar para retirar a criança e durante a escavação viram que estava viva.

Segundo os policiais, a denúncia foi fundamental para que a criança fosse salva.

A bisavó do bebê, até então apontada como responsável pelo enterro, está presa desde quarta-feira (6). À polícia, ela disse que achou que a criança estivesse morta e que, por isso, a enterrou.

A mãe da criança, de 15 anos, sentiu contrações e deu à luz no banheiro da casa. O bebê teria batido a cabeça no chão e não teve reação após o nascimento, segundo a família.

A menina está internada desde quarta-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá.

A bisavó do bebê, até então apontada como responsável pelo enterro, está presa desde quarta-feira (6). À polícia, ela disse que achou que a criança estivesse morta e que, por isso, a enterrou.

A mãe da criança, de 15 anos, sentiu contrações e deu à luz no banheiro da casa. O bebê teria batido a cabeça no chão e não teve reação após o nascimento, segundo a família.

A menina está internada desde quarta-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, A 469 km de Sinop.

Ela pesa 2,4 kg e mede 47 centímetros. Segundo o hospital, a recém-nascida passa por um tratamento de infecção e a equipe pediátrica descartou qualquer tipo de cirurgia.











 

Fonte: G1 MT
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
* O Arinos Noticias não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
mais notícias
15/10/2018
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
enquete
O que você prefere ler?
Polícia
Política
Agronegócios
Variedades
Educação

Se nenhuma das opções sugeridas for de sua escolha, mande sua sugestão através do menu contato
Copyright © 2018 - Arinos Notícias